Mtier Logo

DESCUBRA OS 4 SINTOMAS DA SÍNDROME DO IJS

Esta é a epidemia do momento. Somos bombardeados por centenas de milhares de informações diariamente por meio das inúmeras mídias atuais. Por isso, ficamos com a sensação de que sabemos de tudo, só porque já ouvimos, lemos ou vimos em algum lugar. Isso vai acontecendo sem que nos demos conta, até que a síndrome do “Isso eu Já Sei” esteja instalada em nosso mindset. Veja se você sofre desse mal observando se está com um ou mais dos quatro principais sintomas:

1. Dizer uma coisa e fazer outra.

Esse sintoma tem a ver com discursos desconectados da prática.

Veja este exemplo: sabe aqueles ditados da sabedoria popular, como estes:

  • Vencedor é aquele que vence a si mesmo
  • O pior cego é aquele que não quer ver
  • O rio atinge seu objetivo porque aprendeu a contornar obstáculos
  • Mude seus pensamentos e você mudará o seu mundo
  • Quem semeia vento, colhe tempestade

O que acontece quando você ouve algo que já foi exaustivamente “batido”? Fica com a sensação de que já sabe e não consegue enxergar o óbvio por já ter ouvido tantas vezes.

Mas, saber não é o mesmo que “ter ouvido falar”. Saber tem a ver com vivenciar e aplicar na própria vida aquilo que está contido na frase, no discurso ou no livro. Quando sabemos de verdade, aplicamos na vida. A nossa vida é o espelho que reflete exatamente o que sabemos. Não há como saber sem viver o que se sabe.

Portanto, ter um discurso bonito não significa saber.

2. Esconder de si mesmo e dos outros a incapacidade de melhorar a própria vida.

Esse sintoma é comum naquelas pessoas que vivem dizendo “na teoria é uma coisa e na prática é outra” sem ter sequer testado a teoria, na prática.

Veja este exemplo: a pessoa quer aprender a administrar melhor o seu tempo e resolve fazer cursos, assistir a palestras e até ler artigos ou livros sobre o assunto. E o que acontece? Nada. Continua sem tempo ou com a sua agenda desorganizada. Agora, por já ter tido contato com a teoria, ela acha que já sabe o passo a passo e, inconscientemente, espera que a teoria, por si só, mude a sua vida. Como isso, logicamente, não acontece, sai discursando sobre o quanto as “teorias são furadas”, só para acobertar para si e para os outros a própria incapacidade de aprender.

Preste atenção quando disser que a teoria ‘X’ não funciona. Primeiro verifique se realmente já aplicou na sua vida. Caso a teoria não funcione mesmo, aproveite a sua experiência com ela, crie e publique a sua própria teoria ou fórmula para beneficiar todos aqueles que, como você, também querem melhorar naquele determinado aspecto.

Todos querem mudar sem levar em conta que para isso terão que, forçosamente, superar a si próprios. Querer mudar sem ter que mudar é, no mínimo, irracional. 

Então, se você quer mesmo mudar precisa se desapegar de si mesmo, do seu ego. Precisa se desapagar das certezas e do já conhecido.

3. Seguir as massas em um “efeito manada” sem saber para onde vai.

O principal desencadeador deste sintoma é a desinformação. Isso mesmo. Apesar de sermos bombardeados de informações diariamente, somos desinformados de tudo o que deveríamos realmente saber.

Somos bombardeados por informações, em grande parte, inúteis ou que nada agregam de valor real para as nossas vidas. Quanto mais temos acesso a essas informações inúteis, mais alienados ficamos. E isso é feito propositadamente, pelo sistema. Quer uma prova do estou falando? Leia sobre a Engenharia do Consentimento.

Caso queiramos saber de verdade, obter as informações que realmente causam impacto positivo em nossas vidas, teremos de buscá-las por nós mesmos. Teremos que garimpar essas informações que são, via de regra, camufladas por pseudo-informações que só fazem adormecer. 

Para sair da força que esse efeito exerce sobre você, precisará construir a própria individualidade com conhecimentos que tornem possível ser diferente dos demais.

4. Acreditar nas próprias justificativas e desculpas só para não precisar sair da zona de conforto.

É raro encontrar alguém que realmente sabe o que quer e tem um plano traçado para consegui-lo. Mais raro ainda é aquele que, com determinação, avança destemidamente em direção ao que se propôs, até alcançar o que quer.

Por que isso acontece?

Porque muitos acreditam nas próprias justificativas e desculpas para tudo. Isso se chama: autossabotagem.

Esteja alerta!

Como você pode perceber, os 4 principais sintomas da síndrome do IJS estão intimamente conectados, um atrai o outro e todos se completam entre si.

Fique alerta: essa síndrome é silenciosa e está camuflada por nosso ego vaidoso, cheio de artifícios, desculpas e mimimis. Cure-se antes que atinja o estágio mais avançado. Quer saber se já atingiu esse estágio? Simples: se você está considerando que nada disso tem a ver com você ou que você está acima disso tudo, já é tarde – esse é o último estágio. Caso você admita que existe sim, uma possibilidade de estar com a doença, fique feliz: há cura pra você.

Quer saber como curar-se? Leia o artigo “Como curar-se da síndrome do IJS.”


Por
Márcia Tiergarten

Alguns de nossos artigos

VOCÊ ESTÁ CANSADO DE TANTA TEORIA?

QUEM É VOCÊ?

7 LIÇÕES PARA CRIAR E MANTER UM MINDSET PODEROSO

Ver mais

Quer mais conteúdo? Se inscreva para receber em seu e-mail

"Nossa vida é o subproduto de um contexto histórico-cultural. E o contexto atual é permeado pela lógica do lucro que maquia a realidade para que não possamos vê-la, facilmente."

SIGA-ME NAS REDES SOCIAIS, PARA MAIS CONTEÚDOS DE QUALIDADE!

/marciatiergarten @mtiergarten /marciatiergarten